Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt

http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt

EIS AS MONTANHAS QUE OS RATOS VÃO PARINDO

por muito pequenos que pareçam ser... NOTA - ESTE BLOG JAMAIS SERVIRÁ CAFÉS! ACABO DE DESCOBRIR QUE OS DOWNLOADS SE PAGAM CAROS...

"HAJA PAZ, HAJA MUDANÇA"

02.01.23 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (6)
Tela de Diego Rivera * "HAJA PAZ, HAJA MUDANÇA" * "Haja paz, haja mudança" Neste mundo de hierarquias Que tão apressado avança Cheio, embora, de avarias... * No que toca a mais-valias, "Haja paz, haja mudança", Encontrem-se novas vias Pr`alcançar-se a confiança * (...)

"NESSE DIA DE NATAL"

17.12.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (8)
"NESSE DIA DE NATAL" * "Nesse dia de Natal" Do ano zero cristão Nasceu um menino igual Ao que os outros todos são * Que trazia por missão, "Nesse dia de Natal", Garantir a remissão Aos homens, de todo o mal... * A miséria era total E ao povo faltava o pão, "Nesse (...)

"SE O NATAL ACONTECESSE"

11.12.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (4)
"SE O NATAL ACONTECESSE" * "Se o Natal acontecesse" Todo o dia a toda a hora Ou quando um homem quisesse Sendo eterno o seu "agora!" * Ou, de quanto se deplora, "Se o Natal acontecesse" Sempre que a guerra vigora Porquanto o que a explora a tece * E ela se desvanecesse (...)

"ESTAMOS EM PLENA DESORDEM"

03.12.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (10)
"Martyr du Fanatisme", José de Brito (meu bisavô) * "ESTAMOS EM PLENA DESORDEM" *   "Estamos em plena desordem", Mas já estivemos pior E ainda que não concordem Eu não baixo o meu pendor! * Tempos houve em que o Terror, "Estamos em plena desordem", De seu clamando o (...)

"É UM GRITO DE ESPERANÇA"

26.11.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (4)
"É UM GRITO DE ESPERANÇA" * "É um grito de esperança" A gargalhada sadia Que nos vem de uma criança Que quase nunca sorria... *   Quando a fome te tolhia, "É um grito de esperança" Se a barriga  então vazia Se enche agora com temp`rança * Assim que chega a bonança, (...)

"QUANDO O TEMPO É LIMITADO"

19.11.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (6)
"QUANDO O TEMPO É LIMITADO" * "Quando o tempo é limitado" E é muito o que há pra fazer, É melhor ser ponderado E optar por bem escolher * Dentre esse tanto que houver "Quando o tempo é limitado", O que entendamos poder Ser, a tempo, terminado * Pra que não fique (...)

ESTOU CONVOSCO SEM VOS VER

12.11.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (7)
"ESTOU CONVOSCO SEM VOS VER" * "Estou convosco sem vos ver" Mas apesar de distante Bastou-me poder-vos ler Para vos ver nesse instante! * O dia está radiante, "Estou convosco sem vos ver", Mas mesmo sendo inconstante Cada dia que nascer * Nunca deixo de o dizer, Cada (...)

"FINALMENTE LÁ CHOVEU!"

06.11.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (2)
"FINALMENTE LÁ CHOVEU!" * "Finalmente lá choveu!" Sobre Portugal inteiro, Foi-se a seca e reviveu O verde em cada canteiro! * Mesmo a planta de sequeiro, "Finalmente lá choveu!", Ao sentir, da chuva, o cheiro, Arrebitou, floresceu * E, na mesa, o pão cresceu Ao (...)

"CANTA O GALO NO POLEIRO"

30.10.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (8)
"CANTA O GALO NO POLEIRO" * "Canta o galo no poleiro" E eu, que ao poleiro não chego, Canto sob o meu telheiro, Que ao meu canto nunca o nego * E se canto em aconchego "Canta o galo no poleiro", Também "pico" enquanto rego Os cactos do meu canteiro * Que é já useiro (...)

"VAI O OUTONO LIGEIRO"

23.10.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (4)
"VAI O OUTONO LIGEIRO" * "Vai o Outono ligeiro", Já não tarda o duro Inverno A cumprir-se a tempo inteiro Como um passageiro inferno... * Ainda morninho e terno "Vai o Outono ligeiro" Cumprindo o seu fado eterno De passar, qual caminheiro, * Que percorre o seu roteiro Aind (...)