Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt

http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt

EIS AS MONTANHAS QUE OS RATOS VÃO PARINDO

por muito pequenos que pareçam ser... NOTA - ESTE BLOG JAMAIS SERVIRÁ CAFÉS! ACABO DE DESCOBRIR QUE OS DOWNLOADS SE PAGAM CAROS...

VOSSO SUL, SEMPRE O MEU NORTE!

23.09.10 | Maria João Brito de Sousa | comentar
  Vosso silêncio, vos juro, Me soa desafinado… Tanto assim que, no futuro, Por cada silêncio impuro Vos terei posto de lado… Vossas conversas banais, Dão-me náuseas e (...)

MONO-DUPLICIDADE...

19.07.10 | Maria João Brito de Sousa | comentar
Em todo e cada Poeta Existe uma eternidade Que a si mesma se completa Em mono-duplicidade Assim, desfolhando rimas Como quem espalha sementes, Semeia e colhe obras-primas De (...)

SE VÊS, REPARA!

12.07.10 | Maria João Brito de Sousa | comentar
  Repara, amigo, repara Como os tempos vão mudando, Como a voz me não sai clara, Como os anos vão passando…   Repara nestes cabelos Que se tingiram de branco, Não mais os (...)

A FALAR, COMO AQUI FALO

09.07.10 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (2)
  Em boa verdade digo Que, às vezes, também me calo Pois pode haver algum perigo Em falar como aqui falo… Eu sempre fui destemida, Senhora do meu nariz, Quando sei estar protegida

ESTA MINHA DESPENSA...

08.07.10 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (4)
  Destas mil coisas que arrumo Nas prateleiras da vida - sempre metodicamente – De três quartos, perco o rumo E, em querendo estar prevenida, Deveria ser diferente…   Mas sou (...)

ESTRELAS CADENTES

07.07.10 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (2)
  Trago poemas nas veias E, dos poemas que trago, Moldo o barro das ideias De que nasce o mesmo barro…   São mil poemas-cadentes Cravados como punhais, Cicatrizes transparentes D (...)

NÓS, OS HUMANOS MORTAIS

05.07.10 | Maria João Brito de Sousa | comentar
  Nós só traremos na voz Aquilo que nos sobrar Da estranha reconstrução Do que sendo, quando sós, Pudermos, depois, deixar À posterior geração.   Somos retalhos de vida, Pe (...)

POEMAS DE PUNHO EM RISTE

29.06.10 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (2)
  Vem ler-me, amigo, não temas Poemas de punho em riste! Eu só te trago estes temas Porque tu próprio os pediste…   Poemas são libertários - está na sua natureza… -, Ped (...)