Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt

http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt

EIS AS MONTANHAS QUE OS RATOS VÃO PARINDO

por muito pequenos que pareçam ser... NOTA - ESTE BLOG JAMAIS SERVIRÁ CAFÉS! ACABO DE DESCOBRIR QUE OS DOWNLOADS SE PAGAM CAROS...

FAITH

01.02.10 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (6)
  Whenever the night Comes into your heart And asks you to stay, Just look at the moon And say: very soon Comes another day...   Whenever the pain Takes place in your soul, Struggles and remains, Remember tomorrow There`ll be no more sorrow, The sun shines again...   An (...)

UMA ENXADA PARA M.C.V.

11.04.09 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (2)
Chegado de um planeta                                             indecifrável O Mago, o Peregrino                                             milenar Trazia a fome de um desejo estranho

A TECEDEIRA DE BARCAS

06.04.09 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (8)
Remador da eterna Barca, Que trazes dentro de ti, Dá-me novas do passado, De um tempo que já esqueci...   Remador da Barca eterna - líquidas mãos de cristal - Dá-me novas desta espera, Diz-me quem sou, afinal...   Tu que ao mar foste em pecado, Na tua Barca encantada,

TOO SOON/TOO LATE...

02.04.09 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (6)
  Ela não sabia Nem viria a saber Por que razão o acaso de viver Parecia pedir-lhe, a cada segundo, Que tomasse para si As culpas este mundo E o esquecimento De outra razão de ser.   Ela não perdia. Aceitava e fazia Tudo o que este mundo lhe dizia E,  mesmo (...)

MULHER PORTUGUESA

01.04.09 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (4)
Se eu for ao mar chorar por ti, Se eu for ao mar de manto negro, Talvez o mar perceba o que senti, Talvez o mar entenda o meu segredo… Se nesse mar eu me perder um dia, Se mergulhar nesse seu sal sem fim, Talvez possa encontrar o que queria, Talvez descubra o mar (...)

A ÚLTIMA ESTRELA

31.03.09 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (6)
Um anjo, de negro, Recolhia do céu As últimas estrelas da noite Para que o sol Nascesse quente e glorioso.   Uma mulher, de branco, Recolhia, de uma qualquer janela, O direito de fazer permanecer a noite.   O Anjo olhou a Mulher [pequena estrela baça teimando em ser (...)

DESTA ÁGUA NÃO MAIS BEBEREI

28.03.09 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (7)
    Rasgam-se montanhas. Fundem-se correntes. Gritam, metálicos gritos, Engrenagens de um tempo Que alguém transformou Em rodas dentadas E os meus braços, estendidos como limos, Impotentes, cansados, Pedem utopias E alcançam memórias De crianças que me amaram Mal (...)

COISAS ANTIGAS

27.03.09 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (11)
  Não haverá deus ou homem [seja poeta ou guerreiro] Que me prenda a uma estrada Ou me acenda uma fogueira, Que eu fiz o voto-votado De nunca ser cativada Ou comprada por dinheiro.   Fiz o voto de ser Eu, Não assumir dores alheias, Prometi a Prometeu Nunca adorar (...)

QUERO PODER QUERER

26.03.09 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (10)
Quero poder ser eu! Esquecer-me de ti, Do mundo inteiro, Matar antigos traumas no cinzeiro E reviver o sonho que vivi.   Quer ser árvore, água, melodia, Cristalizar um momento de alegria, Ficar a olhar os passos lentos do rebanho.   Quero rodar no sentido oposto Aos (...)

ANAMNESE

19.03.09 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (6)
   Por aqui passo tão leve, Num passo largo e tão breve, Que ninguém me vê passar...   Passo sem deixar pegada Na terra ou na erva mansa, Deixo aqui uma palavra, Deixo ali uma ternura Nos braços de uma criança...   E passo tão de repente, Tão brevezinha e sumida, Qu (...)