Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt

http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt

EIS AS MONTANHAS QUE OS RATOS VÃO PARINDO

por muito pequenos que pareçam ser... NOTA - ESTE BLOG JAMAIS SERVIRÁ CAFÉS! ACABO DE DESCOBRIR QUE OS DOWNLOADS SE PAGAM CAROS...

ERA UMA VEZ....

14.06.18 | Maria João Brito de Sousa

ERA UMA VEZ - Orfeu.jpg

 

ERA UMA VEZ...



Era uma vez uma Musa

Que, ao sentir-se atormentada,

Resolveu ficar calada;

Já não canta. Aparafusa.

Aparafusa confusa

Por não estar habituada

Nem à tarefa almejada,

Nem à sorte, que recusa,

De servir quem, de contusa,

Já não serve pra mais nada...

 

 

MUSA-



Ó Poeta, estás magoada?

A minha pena te acusa

De em má sorte seres profusa,

Mais do que em rima cantada!

Não foras tão descuidada,

Tão teimosa e tão obtusa,

Cantasses só, alma lusa,

E serias preservada...

Assim, ficas condenada

E para sempre inconclusa!

 

 

POETA -



Ó Musa, se não me aceitas

Para o bem e para o mal,

Não mais minha mão te vale,

A ti mesma te rejeitas!

E agora, de que enfeitas

A tua nudez total?

Quem te tempera de sal

Se sozinha não te ajeitas?

Contas feitas e bem feitas

Nosso pacto era ideal!



MUSA -



Poeta, terás razão,

Mas deverás ter em conta

Que sou musa, mas não tonta,

E que, com tanta aflição,

Nunca sei que direcção

Tomar, sem sofrer afronta...

Deixo-te a lira já pronta;

Toma em tua própria mão

O compasso da canção

E uma sorte de tal monta!





Maria João Brito de Sousa – 14.06.2018 – 10.10h





Respondendo ao desafio da MEA – Maria da Encarnação Alexandre - , décimas sob o mote “ERA UMA VEZ”.