Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt

http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt

EIS AS MONTANHAS QUE OS RATOS VÃO PARINDO

por muito pequenos que pareçam ser... NOTA - ESTE BLOG JAMAIS SERVIRÁ CAFÉS! ACABO DE DESCOBRIR QUE OS DOWNLOADS SE PAGAM CAROS...

NÃO SER

02.06.09 | Maria João Brito de Sousa

 

Não sei donde me vem este não ser

Pois mesmo que procure

Eu não sei bem

Se sou o que procuro e nunca vem

Se, vindo o que procuro, o quero ser...

 

Gosto desta procura de outros nadas...

E quando nada encontro

Eu sei que sou

Aquela que se achou desencontrada

No seio desses nadas que encontrou…

 

4 comentários

  • :) Olá Pedro! Adorei a sua "demografia das correntes de ar"!
    Tem razão. Não me limito a respirar, mas tive uma experiência muito recente - doença - que me deixou praticamente nessa situação. Ainda não recuperei totalmente... também perdi muitos membros do meu "pequeno mundo" num curtíssimo espaço de tempo. Não foi nada fácil. Três dos animais que fazem parte do meu agregado familiar, morreram no espaço de três meses. São amigos, para mim. Sinto-lhes a falta como se de partes de mim se tratasse. Bom, é difícil explicar-me inteirinha, assim, de repente... :)
    Não sou tão louca quanto pareço... ou talvez seja. Faltam-me pedacinhos de mim, metaforicamente.
    Um abraço!
  • Sem imagem de perfil

    Pedro Tortuga

    06.06.09

    "Não sou tão louca quanto pareço... "


    O que é a loucura senão o atrevimento que se atreve a relatar aquilo que todos vêem mas para o qual ninguém quer olhar?!

    ;)


    Quanto aos "bichinhos" lamento...:(


    As melhoras e um beijo!
  • :) Bem... há loucuras e loucuras. Eu garanto que não trocaria a minha "loucura essencial" por nada deste mundo mas, neste momento, sinto-me "lenta" por dentro e por fora e disso não gosto nada! Lá vou dando "uma no cravo e outra na ferradura", mas não é a mesma coisa. As palavras já me não nascem naquela corrente avassaladora que me parecia tão autónoma... quase uma companheira inseparável que até a mim me fascinava. Agora ando por aí, a "pescar" palavras e rimas. Já não é a mesma coisa. Só espero que seja temporário, mas o tempo vai passando e eu continuo sem saber se essa força imensa irá, ou não, voltar a fazer parte de mim.
    Não tome isto como "queixinhas". São desabafos que eu vou deixando por aí. Falar disto com as pessoas com quem convivo diariamente na RL seria impensável... mesmo que falasse, ninguém me entenderia... :))
    Um abraço!
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.