Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt

http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt

EIS AS MONTANHAS QUE OS RATOS VÃO PARINDO

por muito pequenos que pareçam ser... NOTA - ESTE BLOG JAMAIS SERVIRÁ CAFÉS! ACABO DE DESCOBRIR QUE OS DOWNLOADS SE PAGAM CAROS...

ANAMNESE

19.03.09 | Maria João Brito de Sousa

 

 Por aqui passo tão leve,

Num passo largo e tão breve,

Que ninguém me vê passar...

 

Passo sem deixar pegada

Na terra ou na erva mansa,

Deixo aqui uma palavra,

Deixo ali uma ternura

Nos braços de uma criança...

 

E passo tão de repente,

Tão brevezinha e sumida,

Que, mesmo sem estar escondida,

Não passo por entre a gente...

 

Passo tão leve que o céu

Não está mais perto que eu

Das aves e das estrelas

E, de tão leve passar,

Eu já não sou eu... sou elas.

 

Poderia ser fantasma,

Erva do prado, criança,

Brisa que sopra no Verão

Ou leve sopro de esp`rança...

 

Um dia, quando chegar

A hora de não voltar

A passar, nem levemente,

Mesmo assim há-de ficar

Um pouco de mim a amar

Dentro de cada semente

 

E um pouco de mim no vento,

Quando sopra de mansinho

E um pouco de mim, sonhando,

No oco de cada ninho...

 

Hei-de ficar tão de leve

Quanto passei pela vida

E ninguém me encontrará

Mesmo sem eu estar escondida...

 

Que eu não quero ser ninguém

Pois ninguém me conheceu.

[por isso nunca fui Eu]

 

Se ninguém me conheceu,

Como posso ser esquecida?

 

 

Nota - Poema não datado, escrito aos meus vinte e poucos anos, se bem me lembro...

6 comentários

  • Olha que eu acho mesmo que nasci poeta, amigo Eduardo. As primeiras rimas que ainda por cá andam, escritas pela mão do meu avõ, são de quando eu não tinha ainda três anos. Vou-te deixar uma:

    ó borboleta da noite,
    ó linda do coração...
    ó borboleta da noite
    pousa aqui na minha mão!

    Neste momento não sei onde guardei os papelinhos em que o meu avõ as escrevia. A minha casa é um depósito de animais, quadros, livros e papéis escritos e desenhados e como a minha memória já não é o que era, guardo tudo tão bem guardado que depois nem me lembro onde guardei... isto cada vez me acontece mais e também é certo que cada vez tenho mais papéis...
    Abraço grande.
  • Imagem de perfil

    Fisga

    19.03.09

    Assim sendo Temos que fazer jus ao ditado: Filho de peixe sabe nadar. E o armário, ainda não abriu? Eu tenho algo que me diz que ele vai abrir, só estou a achar muito tempo, para o oleo se infiltrar. Abraço Eduardo.
  • olha que já tentei várias vezes e continua a não dar...
    Acho que não estava ferrugenta... deve estar é partida lá por dentro.
    Abraço grande.
  • Imagem de perfil

    Fisga

    20.03.09

    Olá amiga João. Um dia qualquer, nós combinamos, e eu vou aí ver o que se passa. nesse dia convidas as tuas duas ou três, já não sei quantas são, as tuas amigas que eu quero conhecer as que ainda não conheço, e fazemos aí um piknik . Abraço Eduardo.
  • Olha, é a D. Isa e a D. Fernanda mas, às vezes, também aparece a D. Palmira, a Nati e a D. Maria José.
    Mas o grupo é composto por nós, as três Marias. Acho que a D. Isa já perdeu um bocadinho a vergonha, mas a D. Fernanda não sei... é uma senhora muito recatada e muito raramente vem cá a casa. A casa é mesmo um zoológico e um armazém de livros e quadros. Penso que ela não se sente muito confortável aqui. Agora já tenho um canal de TV, mas antes não tinha e ela só deixa de ver TV para ir ao cafezinho. Mas depois se vê.
    Abraço grande.
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.