Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt

http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt

EIS AS MONTANHAS QUE OS RATOS VÃO PARINDO

por muito pequenos que pareçam ser... NOTA - ESTE BLOG JAMAIS SERVIRÁ CAFÉS! ACABO DE DESCOBRIR QUE OS DOWNLOADS SE PAGAM CAROS...

II

18.02.09 | Maria João Brito de Sousa

DE ZERO A ZÊ

Convém, sempre,

Que se saiba escrever de Zero a Zê.

Não escrever, de todo,

É disfuncional

E, depois de Zê,

É só para os metafísicos e economistas.

 

Há poetas

Que se aventuram

A escrever para além de Zê

(e, pontualmente, antes de Zero).

Não têm vidas fáceis

Embora sejam os melhores.

 

Poeta que escreva

Antes de Zero e depois de Zê

Arrisca-se a só ter público depois de morto.

[Como os melhores]

 

Todas as coisas palpáveis

Se escrevem

 Entre Zero e Zê

 

 

Antes e depois da escala

Ficam apenas os impossíveis,

Os invisíveis e os que estão por vir.

 

Na escala cabe o conveniente

E umas pitadas de inconveniência

Que são muito úteis a quem se imagina livre

E a quem proclama liberdades imediatas.

 

 

A estupidez acaba em Zê

Conforme acab0 de demon(Z)trar.

 

 

 

  

2 comentários

Comentar post