Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt

http://asmontanhasqueosratosvaoparindo.blogs.sapo.pt

EIS AS MONTANHAS QUE OS RATOS VÃO PARINDO

por muito pequenos que pareçam ser... NOTA - ESTE BLOG JAMAIS SERVIRÁ CAFÉS! ACABO DE DESCOBRIR QUE OS DOWNLOADS SE PAGAM CAROS...

MENSAGEM

04.12.22 | Maria João Brito de Sousa | comentar
MENSAGEM * Cada qual, sua mensagem De anseios e de apetências Que ao longo desta passagem Desenvolve competências Afectos, dons, insurgências * E bem mais que de aparências Se alimenta uma mensagem Que vence as incongruências Da sua imperfeita imagem... Esta é de (...)

"ESTAMOS EM PLENA DESORDEM"

03.12.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (10)
"Martyr du Fanatisme", José de Brito (meu bisavô) * "ESTAMOS EM PLENA DESORDEM" *   "Estamos em plena desordem", Mas já estivemos pior E ainda que não concordem Eu não baixo o meu pendor! * Tempos houve em que o Terror, "Estamos em plena desordem", De seu clamando o (...)

SOLUÇÃO

27.11.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (8)
SOLUÇÃO * Não haverá solução Para tanta podridão, Mas há sempre uma saída Que é por alguns desmentida Em nome da submissão * Pela voz que a traz traída Quando afirma estar perdida Só por ser revolução... Mas está nela a solução Prás misérias desta vida! * (...)

"É UM GRITO DE ESPERANÇA"

26.11.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (4)
"É UM GRITO DE ESPERANÇA" * "É um grito de esperança" A gargalhada sadia Que nos vem de uma criança Que quase nunca sorria... *   Quando a fome te tolhia, "É um grito de esperança" Se a barriga  então vazia Se enche agora com temp`rança * Assim que chega a bonança, (...)

AMARELO

21.11.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (8)
AMARELO *   Pintei um sol amarelo Na parede do meu quarto E não me farto de vê-lo, Mas se de olhá-lo me farto E da parede me aparto * Por toda a casa o reparto Quando me gela o sincelo Porque, ao sol, nunca o descarto, Nem tão pouco ao amarelo Em que decomponho o gelo. * (...)

"QUANDO O TEMPO É LIMITADO"

19.11.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (6)
"QUANDO O TEMPO É LIMITADO" * "Quando o tempo é limitado" E é muito o que há pra fazer, É melhor ser ponderado E optar por bem escolher * Dentre esse tanto que houver "Quando o tempo é limitado", O que entendamos poder Ser, a tempo, terminado * Pra que não fique (...)

RESPEITO

13.11.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (2)
RESPEITO * Quem me mereça respeito Tem um lugar no meu peito Junto do meu coração... Aos mais apenas aceito Por questão de educação * Pois respeito, por defeito, E, por defeito, os aceito Sem sombra de rejeição: Só a alguns presto o meu preito Mas a ninguém digo não. (...)

ESTOU CONVOSCO SEM VOS VER

12.11.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (7)
"ESTOU CONVOSCO SEM VOS VER" * "Estou convosco sem vos ver" Mas apesar de distante Bastou-me poder-vos ler Para vos ver nesse instante! * O dia está radiante, "Estou convosco sem vos ver", Mas mesmo sendo inconstante Cada dia que nascer * Nunca deixo de o dizer, Cada (...)

"FINALMENTE LÁ CHOVEU!"

06.11.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (2)
"FINALMENTE LÁ CHOVEU!" * "Finalmente lá choveu!" Sobre Portugal inteiro, Foi-se a seca e reviveu O verde em cada canteiro! * Mesmo a planta de sequeiro, "Finalmente lá choveu!", Ao sentir, da chuva, o cheiro, Arrebitou, floresceu * E, na mesa, o pão cresceu Ao (...)

"CANTA O GALO NO POLEIRO"

30.10.22 | Maria João Brito de Sousa | ver comentários (8)
"CANTA O GALO NO POLEIRO" * "Canta o galo no poleiro" E eu, que ao poleiro não chego, Canto sob o meu telheiro, Que ao meu canto nunca o nego * E se canto em aconchego "Canta o galo no poleiro", Também "pico" enquanto rego Os cactos do meu canteiro * Que é já useiro (...)